Cartão de Visita do Facebook

domingo, 6 de agosto de 2017

CANSAÇO

CANSAÇO

Canso-me do silêncio
Desta estrada inquieta
Desta existência secreta
Mar tão distante e imenso
Onde existes sem querer

Canso-me de viver
Experimentar ruas sem saída
O olhar perdido suspenso
O último beco da vida
A te esperar

Cansada e desobediente
Perdida de qualquer lugar
Dizia-te ontem que não mais te escreveria
Dos cansaços interditos a roubar saudade
A deixar pelo chão cambraia e melancolia
Dos abraços dos sentidos em memória intimidade
Como que da loucura inconsciente
Do cansar da poesia
Da silente eternidade
A tristeza que se sente
Em profundidade no coração
Pudesse um dia
Trazer-te enfim
Dos confins da solidão
Para perto de mim
Finalmente
...
musa

Sem comentários: