Cartão de Visita do Facebook

sexta-feira, 14 de agosto de 2015

CANSADA DE VIVER

CANSADA DE VIVER
Estou tão cansada de viver
As vezes que me apetece tanto deixar este mundo
E não ter a quem confiar o meu sentir
Este desassossego estranho profundo
Que me apetece da vida desistir
Este silêncio poço sem fundo
Aonde me sinto cair
Um apelo aconchego e abraço
Um colo magnitude aberto peito
Um torpor instante cansaço
Entrega sonho desfeito
A morte a um passo
Imperfeito
Sentir
Cansada me sinto
Ja vivi tudo e tanto
Devia partir
Há dias que vivo demasiado pranto
Uma eternidade insatisfação
Desgostado amor
Tenho mais horas de dor
E de desencanto
De ardor
Desilusão
A morte apela por mim
É quase uma paixão
E fica tão bem o suicídio ao poeta
Do meu silencio dou um nó sem fim
Esta angustia insana que desperta
Em poesia e loucura
E cansada de sentir
Só peço ao poema
Deixai me partir
Sozinha serena
...

musa

Sem comentários: