Cartão de Visita do Facebook

terça-feira, 22 de maio de 2012

SÚPLICA - Dueto com MIGUEL TORGA

SÚPLICA
Agora que o silêncio é um mar sem ondas,
E que nele posso navegar sem rumo,
Não respondas
Às urgentes perguntas
Que te fiz.
Deixa-me ser feliz
Assim,
Já tão longe de ti como de mim.

Perde-se a vida a desejá-la tanto.
Só soubemos sofrer, enquanto
O nosso amor
Durou.
Mas o tempo passou,
Há calmaria...
Não perturbes a paz que me foi dada.
Ouvir de novo a tua voz seria
Matar a sede com água salgada.
...
Miguel Torga

SÚPLICA
Eu sei, ser esse mar de azul quase transparente,
Silenciado oceano sem ondas que possam agitar,
Sentir que em mim navegas como quem consente
Urgência das respostas que o silêncio vem gritar,

E… longe de mim…
Sendo-me em ti vou suplicando,
Vida perdida a desejá-la tanto,
Amor sofrimento vou calando,
Num sem fim de dor e pranto,

Doce súplica feita sal de lágrimas a sorrir
No colo dos teus carinhos prometidos
Não basta talvez que me confies teu sentir
O tempo passou deixando sonhos esquecidos

Assim, ver-te e ouvir-te de novo que calmaria
Saciando-me do sal desse teu choro
Por teu nome sabes que suplicando gritaria
Pois é em ti que eu me sinto e me demoro

Súplica prece rogativa oração
Canto este vibrante sonoro
É talvez a voz da paixão
musa

1 comentário: