Cartão de Visita do Facebook

sexta-feira, 20 de fevereiro de 2015

DESVARIOS POÉTICOS

DESVARIOS POÉTICOS

Teu olhar calmo, sereno,
Que nos sorri cada dia
É qual bálsamo pleno
No fulgor da fantasia

Se meus olhos serenos são
Sorrisos calmos de poesia
Encerram eles doce solidão
Bálsamo luz de nostalgia

Não me canso de te olhar
De ver sorriso tão são
Que nos obriga a cantar
O que sente o coração

Cansaço meiga inspiração
Da alma sorrir tão perfeito
Doce é o teu coração
Que bate poesia no peito

Se há peito em cujo leito
Habita a paz e o amor
Só pode ser o teu peito
Seja onde quer que for

Imperfeito poema coração
Altar do amor tão discreto
Se prece poesia ou oração
É o teu jeito poeta secreto

Imperfeitos sao meus versos
Mas nas palavras que digo
Traduzo sentir's diversos
Que descobri como amigo

Versos palavras amizade
Quanto vale a poesia
Sim Amigo de verdade
Foi conhecer-vos um dia
...

musa & José Sepúlveda

Sem comentários: