Cartão de Visita do Facebook

domingo, 2 de setembro de 2012

CAVALOS


São o sentir tão solto
como palavras
em prado de versos
rédea no poema
laço de rima
solta

Livres como gazelas
em correria do pensar
nuances em aguarelas
tingidas de lágrimas
em poesia a soluçar
num refrão pradaria
pasto dos sentidos
onde deambular
a ilusão

Trote no tempo perdido
relinchar poético
num pensamento
quase simétrico
quase sentido
quase vento
com asas
...
musa

Sem comentários: