Cartão de Visita do Facebook

sábado, 17 de setembro de 2016

ORAÇÃO

ORAÇÃO


Este absurdo dissídio dor encoberta
Rumor da alma em discordância
Agudo e estridente clamor
Panaceia da carne oferta
Em oração e substância
Ao mais alto esplendor


No altar das oferendas
A esmeril palavra dura
Ergue-se o cálice rubor
Sagrado sentido das lendas
Em inventário da loucura
O inulto dissabor
Epílogo da desventura
Nablo tortura


Ecoam cânticos da harpa celeste
Em madrigais de desespero
O apelo severo
A seiva agreste
Da utopia
Assemia


O pão e o vinho da mudez
Em âmago sagração
A missa fantasia
Altiva nudez
Desilusão
Capricho
Insensatez


A ofegante prece da missa alva
Ao romper do culto em mistério
As vestes a encobrir a palidez
Da pele translúcida e malva
A pedir descanso no cemitério
Que é tempo de ir à última morada
Quando rezar não resta mais nada
musa

Sem comentários: