Cartão de Visita do Facebook

domingo, 30 de abril de 2017

POEMA A UM HOMEM

Poema melancólico a não sei que homem

Dei te os beijos, os afagos, os instantes
Destes silêncios de vida que sobraram;
Nos meus lábios rasgos afloraram
Chamas em fogueiras sem identidade
Fogos ardidos e distantes
Do teu olhar sentido;
A imagem magnânima por ti, a eterna saudade
Ímpeto ardente de paixão
Quimera discreta e profana
Dos mistérios da intimidade
Do desejo e da sedução
O sonho profético do amor e uma cabana
Ou simplesmente a desilusão
A crueldade da vida
A temperamental melancolia
Romântica sensibilidade
A intima nostalgia
O poema mulher todavia
Do verso a cumplicidade
Da mais pura e leal poesia
...
musa

Sem comentários: