Cartão de Visita do Facebook

quarta-feira, 28 de novembro de 2012

PARA TI


antes de partir... quero deixar PARA TI

Nunca escrevi para ti
Mas hoje ao fazê-lo
Estou a eternizar as palavras no teu sentir
Desenrolando beijos do novelo
Da lã dos afetos
Onde despertados secretos
Tecem o mais doce sentido que possa admitir
Para ti

Não é um poema de amor
Daqueles que fazem ninho nos beirais
Esteio de silêncio dos umbrais
Que na amargura e na dor
Possam consentir
Voos de ausências
E também permitir
Todas as desistências
Cumpridas pela tua existência
Onde o meu sentir faz ninho em ti
E cumpre amor

Acordo e demoro-me
Na tua pele no teu gosto no teu sentir
Namoro-me
Não quero que me ames de amor
Quero somente o teu cio
O grito o pranto o torpor
Dos bicos dos dedos dos seios
O calor entranhado no frio
De todos os teus desejos
Donde eu sempre possa partir
De caricias e ternos beijos
Sem entraves nem enleios
Quero a tua sede e a tua fome
Saciando a carne do alimento
Veios de sémen e saliva
Além de todo o sentimento feito de ti
Quero o querer da tua mão esquiva
A vontade e o prazer
Com que partilhamos tesão
Não quero que me ames
Só quero que nesse não querer
Permitas romper com a solidão
Sintas somente do prazer de sentir
O que nunca tenhamos que admitir
Tudo o que esta para além do amor
Tudo o que está para além da dor
Tudo o que paira entre tesão e vontade
Somente o desejo de um beijo
No colo farto da sensualidade
Onde se permite o ensejo
Desta nossa cumplicidade
musa

1 comentário:

antónio JOSÉ LEITE DE MAGALHÃES disse...

Musa,
amei este poema tão belo e creio que muito sentido.
Corre pelos lábios entra pelos olhos e se transforma no cérebro.Tem mensagem.
Beijos
A.L.M