Cartão de Visita do Facebook

domingo, 26 de agosto de 2012

NOVA MULHER


Atirei-me ao mar
Dentro da garrafa de vidro
Ficando a boiar
Tal como um sentido
Uma nova mulher
Doce madura
De sal na pele
Sabor loucura
Olhar de mel
Azul ternura

Boiando águas azuladas
Em oceano profundo
Entre o céu e o mar
Vagas calmas ondeadas
Balançam o sentir fundo
Sem partir ou naufragar
Águas azuis de um mundo
De sal e sentidos e mar
E um silêncio fecundo
Leve murmurar
Esse vaivém vagabundo
Que impede fundear

Eu nova mulher
Atirada ao mar

Quem me resgatará
Das águas me elevará
Nas mãos de Iemanjá

Raios de sal e luz
Prece e prantos

Ai ai oxalá

Possa essa mulher nova
Que de Poesia seduz
Qual sereia em seus cantos
Estendendo seus mantos
De sal luz e encantos
Seu murmurar sua trova
Seu sussurrar a todos quantos
Dura e ingrata prova
Receberem sua mensagem
Trazida na garrafa de vidro
Depois de uma longa viagem
Deitado ao mar o seu sentido
Em marítima paisagem
Depois de um sonho tido
musa

Sem comentários: