Cartão de Visita do Facebook

terça-feira, 19 de março de 2013

SILÊNCIO DA CASA


 Silêncio na casa toda
Há apenas
De quando em vez
O crepitar da chauffage aquecer
As noites serenas
E o dia ao entardecer
E as manhas talvez
E o doce sereno
Tempo gélido ameno
Quase ao amanhecer
Esperando por mim
A casa tao vazia
De alarido frenesim
Quieta silenciosa
Desperta assim fria
De uma luz preciosa
Em silente sossego
De luz poesia
Secretos dias
Sem barulho sem medo
Apenas o murmúrio
Das coisas sombrias
Que ficam a crepitar
Em doces lembranças
Em sentimental augúrio
Os gritos e risos das crianças
No silencio a entoar
Dias felizes de amor
E a casa tao cheia
E o calor da vida
Doce terno sabor
Recordações para amar
Numa teia que enleia
A esperança sentida
O encanto decifrar
Entre o silêncio e a dor
De toda a eternidade
A casa silenciada
A vida consentida
A alma felicidade
Do corpo enraizada
No silêncio da saudade
No barulho da vida
...
musa
Bom dia
Beijo te com poesia

Sem comentários: