Cartão de Visita do Facebook

quinta-feira, 18 de outubro de 2012

CAVALOS TOIROS E CIGANOS


Há uma lenda adormecida
Nos lábios doces dos poetas
Há uma história de vida
Abre ao fado portas secretas

Contam que em prados selvagens
Havia cavalos e toiros
Trazidos de longas viagens
Por morenos de cabelos loiros

Era uma raça andarilha
Viajantes sem destino
Do sonho seguiam a trilha
Do fado seguiam caminho

Conta uma lenda cigana
Que certa vez aconteceu
A uma menina tricana
Que num prado se perdeu

Andavam os cavalos à solta
E os toiros também pastavam
Andavam os ciganos à escolta
Dos animais que guardavam

A tricana menina inocente
Sobre um muro colhia amoras
Mas veio um touro de repente
Que a levantou sem demoras

Em seus chifres bem agarrada
A tal menina brava e corajosa
Às voltas pelo prado foi levada
Na cabeça do toiro vitoriosa

Contam os ciganos que viram
A tal pega dessa criança
Tanto medo que sentiram
No perigo que só Deus alcança

Correram todos em sua direção
Valentes homens para a salvar
Mas nos seus olhos sem aflição
O medo a impedia de gritar

Eram toiros bravos do campo
Criados selvagens entre cavalos
Conta a lenda do seu pranto
Quase estiveram para matá-los

Se há dor maior para o cigano
É perder os seus animais
Vive com eles de ano a ano
São seus todos os natais

A menina assim se salvou
De entre os chifres do animal
E o toiro não se matou
Porque também não lhe fez mal

Assim cavalos toiros e ciganos
É vê-los por prados de partida
São errantes doces arcanos
Foram para mim anjos da vida
musa

1 comentário:

Jorge Roberto Soares Da Silva disse...

Uma linda historia contada em versos dentro de uma prosa poética,lindo poema.