quinta-feira, 29 de setembro de 2011

PEDRA A PEDRA


PEDRA A PEDRA
Sobre o riacho
Regato dos dias
Sobre pedra a pedra
No olhar facho
Alumio fantasias
Onde humidade medra
Archote do pensamento
Luz e fogo
Andamento
Partitura
Mulher helénica
Ave loucura
Suscitando paixão
Céptica
Brandão
Em seixos ateia
Sedução
O porte erguido
Facho luminoso
O pé sentido
Frio desejoso
Pé ante pé
Sobre água caminha
Mansa maré
A vida lhe destina
Caminhar
Erguendo paliçadas
Palavras escritas
Loucas desvairadas
Cartas eruditas
Choro sobre a tinta
Onde ler se sinta
Rumo solidão
Sentir
Palavra pedra
Pedra palavra
Menir
Guardião
musa

1 comentário:

EU disse...

Musa...
Belo remate para um poema divagativo e sensorial...
Lindo , teu blogue :)