Cartão de Visita do Facebook

quarta-feira, 2 de agosto de 2017

MEU MAR DE PEDRA

MEU MAR DE PEDRA

Nas serranias sobre o areal que as pedras húmidas afloram
Um mar de esverdeados e negros rochedos tem os meus sentidos
Os meus olhos lágrimas vagas de sal choram
Que as noites em alto mar os medos uivam perdidos

Promessas preces ladainhas prantos gemidos
Pedras salgadas a cintilar viscosidade escorregadia
De abraços com as ondas em murmúrios e vagidos
Numa cumplicidade de azul espuma e maresia

Meu mar de pedra suspenso aroma imensidão
A bater as rochas a água o sal e o sentimento
O cheiro de profundidade mistério e escuridão

Pedras a dividir areal da terra do silêncio do azul do céu
Pacto de sangue e sentidos testemunhado pelo vento
Este mar de poesia tão imenso e tão meu
...
musa

Sem comentários: