Cartão de Visita do Facebook

quarta-feira, 2 de agosto de 2017

DO TEU AZUL INFINITO

DO TEU AZUL INFINITIVO

Beijos profundos de um abstrato infinitivo
De um torpor repetitivo dos lábios a estremecer
Nos olhos fundos o azul estrato diminutivo
Na quietude luminosa que os faz endoidecer

Essa estranha e mansa visão da claridade
Como se houvesse nos olhos a explodir
Mil estrelas de azulado pranto intimidade
Timidez escondida em cada lágrima ao sentir

Noite tecida dos beijos que deixas em silêncio flor
A tristeza oferecida tímida luz escuridão
Rasga de azul baixinho cântico de amor

Do teu azul infinitivo de beijos profundos sem fim
Eternos de desassossego em meiga solidão
Guardo-os em suspiros na espiritual saudade de mim
...
musa

Sem comentários: