Cartão de Visita do Facebook

terça-feira, 30 de maio de 2017

MÃO DE FOGO

MÃO DE FOGO

Macia a mão
Que escreve palavras
Sem saber em que lugar
E canta os meus sentidos
E acende o fogo do olhar
O breve instante dos gemidos
Que faz recordar
De poesia
A ânsia inteira por cumprir
A palavra que sempre se demora
Silêncio a sangrar e a ferir
O tempo a lágrima e a hora
Acutilante
Sem ser poeta
Ou cantante
Traz de outrora
Desejo por viver
Uma estrofe secreta
Um verso de amante
Uma clara aurora
Em gritos de prazer
Um poema delirante
Nos lábios feitiço ou magia
Escreve como quem afunda um beijo
O barco navegante
Em águas de desejo
Um mar de intimidade
Um gozo de sentir
As palavras escritas de saudade
Remos de loucura
A vencer cansaços
A remar a ternura
Do rio querer dos teus abraços
...

musa

Sem comentários: