Cartão de Visita do Facebook

segunda-feira, 23 de janeiro de 2017

POEMA DE QUASE AMOR

POEMA DE QUASE AMOR

Que ele sinta o quanto de amor lhe tenho
E quanto em lágrimas o venho lembrando
E quanto em cada dia ignoro e desdenho
O sentir esquecido em que vou enredando

As horas que tristes sombrias de amargura
Amada e sofrida de um pranto prisioneiro
No peito em profundidade a húmida loucura
Estremece o sentido de um desespero inteiro

Que olhar algum em verso possa poder dizer
Que lavada a alma pacífica do coração amado
E não mais sente essa vontade louca de morrer

Porque a vida em impossível e angustiante paixão
Esse quase amor feito poema de sentir declamado
É tantas vezes invocado em humilde e doce oração

musa

Sem comentários: