Cartão de Visita do Facebook

quarta-feira, 11 de janeiro de 2017

PERDOA-ME

PERDOA ME

Não trago lágrimas porque as perdi
Na travessia dos sonhos desfeitos
Deixei pelo caminho e esqueci
As demoras e os silêncios imperfeitos

E as horas por ti a esperar
Que a maresia amacie a ilharga
E ensombre as velas do mar
Em lágrimas a última vaga

As mãos ao leme do teu corpo sentido
Onde só eu sei a força do mastro ao vento
Quando em mim navega o sentido

Nas águas da nudez que a minha pele fria
Amorna de amor em perdão lamento
Um grito timidez na barca da poesia
...
musa

Sem comentários: