Cartão de Visita do Facebook

segunda-feira, 23 de janeiro de 2017

BORDO A ROSAS A VIDA

BORDO A ROSAS A VIDA

Quieta no meu canto
Num desassossego de luas
Numa inquietação de saudades
Bordo a silêncios e a pranto
Memórias ténues e nuas
Em seda intimidades
Teço de tempo o manto
Em fio de luz o canto
Dos gritos que cantei
E em silente desespero
Com vida rematei
De um lamento sincero
A alma bordei
O sangue das rosas
As estrelas do universo
A ternura dos confins
A loucura das prosas
O intimo verso
Do gesto e afins
No pano de linho
Bordo o destino
O passado o presente e o futuro
Ponto a ponto furo a furo
Na pele presa no bastidor
A cada laçada o fio da vida
Bordo um coração de dor
Sentida
...

musa

Sem comentários: