Cartão de Visita do Facebook

sábado, 7 de janeiro de 2017

A ROSA FENECIDA

A ROSA FENECIDA

Vermelha a rosa entardeceu
Sob o peso da vida e da memória
Tão velha e vermelha como a glória
Leve o exílio silêncio em que morreu

Vermelhas eram as rosas da campanha
Num tempo de lutas e de vitória
A rosa fenecida e tão estranha
Fica assim desfolhada pela história

Da morte que o leva ao seu descanso
Sob o caixão talvez uma rosa vermelha
Ao seu olhar sereno e manso

Se houve gritos de euforia e liberdade
Fica o silêncio em inconformada centelha
Para uns negra rosa para outros flor saudade
...
musa

Sem comentários: