Cartão de Visita do Facebook

quarta-feira, 11 de janeiro de 2017

A NOITE AMADA

A NOITE AMADA

Mordo a noite no dedo humedecido
De gozo impregnado mel do cio
Entre as coxas o falo entumecido
Escorre da mão viscoso rio

Margens de silêncio em fantasia
E o teu nome grito abafado
Nas imagens de prazer em poesia
Um orgasmo é o verso provocado

Entre os dedos deslizando despudor
Da boca à nascente de inesgotável prazer
A húmida fonte onde se sacia o amor

Íntima excitação em suspiros suplicada
O poema que a faz endoidecer
A pele dos sentidos assim amada
...
musa

Sem comentários: