Cartão de Visita do Facebook

domingo, 2 de outubro de 2016

AMOR FERIDO

AMOR FERIDO

Como pode uma mulher amar
Amar como quem ama fazendo arte
E em mil pedaços como quem parte
Em estilhaços a vida inteira
E amar assim dessa maneira
De beijos e abraços
E braços estendidos
Abertos e rendidos
Toda entregue toda inteira
Numa toada prece e oração
Amar de amor e de paixão
O impossível e angustiante amor
Em profunda e intensa dor
Amado amante tão secreto
O sentimento assim perpetuo
Do mais sensível pendor
Em desalento e loucura
Como quem de entrega tortura
Do mais triste sentir
Esse amor não correspondido
Que dói e fere o sentido
Em tão amargo existir
Talvez o veneno da vida
Esse amor ferido
Viver de coração destroçado
E de lágrimas consentir
A dor que a morte convida
O luto urgente amordaçado
Em colorido destruir
O corpo dolente cansado
Um arco-íris de pranto e luz
Esse amor tão pesado
Que mata e seduz
A razão de viver
A Amar a morrer
...
musa

Sem comentários: