Cartão de Visita do Facebook

quinta-feira, 30 de junho de 2016

SE UM DIA AS PALAVRAS FERIREM MAIS DO QUE A SAUDADE

SE UM DIA AS PALAVRAS FERIREM MAIS DO QUE A SAUDADE

Meu amor que em segredo
Amo em travessia
A vida que acontece
É de instantes que se tece
O grito louco do medo
A tortura
Em poesia

Feridas
Essas palavras que adentro
Invadem côncavo sentir

No tecido mole do tempo
Ofendidas arestas
Sangram sentidos
Doendo a fingir

No verbo de silêncios
Fendidos e contundentes
A brancura de glóbulos silvestres
Multiplica orgasmos que tu sentes
Entre espasmos e gemidos
E fluidos escorridos
Entre pernas humedecidas e quentes
E os teus olhos a cintilar

Um vazio preenchido de intimidade
Na pele de aromas agrestes
A cumplicidade do olhar
Com que despes
A saudade

Fere o amor esvazia o verso
Fende a loucura
Finda a dor
A ternura

Há no universo
A exaustão
O corpo cansado
A doce excitação
Da tua mão
Mesmo ao meu lado
musa 

Sem comentários: