Cartão de Visita do Facebook

quinta-feira, 31 de março de 2016

JOGO DE LETRAS


Escondi ao nome ao poema
Porque quando tu não estas por perto
Os versos dissipam-se silêncio ausente
A palavra é bruma de um sentir secreto
Há humidade caindo dolente
Talvez um soneto inconsciente
A poesia que se consente
Jogo de esconde-esconde
Letra a letra as palavras escondidas
A borboleta da consciência em agitação
Cansaço de sentir
As contrações perdidas
Um sem fim desumano de existir
Enforcado pensamento
Jogo pendente
A forca em omissões e adivinhas a sentenciar
As variações sentimentais do tempo
Racionadas desvendadas por soletrar
Marcados passos na sintaxe verbal
Um caminho intuitivo e atento
Passivo imperfeito e lento
Perdido ou ganho ou desistir
Sensitivo carnal
Jogo de sentir
...

musa

Sem comentários: