Cartão de Visita do Facebook

sábado, 13 de junho de 2015

MARCHA DO SILÊNCIO a Fernando PESSOA

MARCHA DO SILÊNCIO a Fernando PESSOA

Um dia quando eu for e tu já não sejas
Das leis contrárias a este sentir
Eu seja uma e muitas e tu não me vejas
Nesse profundo e multiplicado existir

E serenamente dos outros eu despida e nua
Goze os predicados metáforas e paixões
Os versos universos firmamentos e essa lua
Que rege todo o meu ser nas mais diversas contradições

E o mundo há de dizer que inteira era o imperfeito
Em poemas palavras a alma nudez das emoções
Tanto era o prazer dessa musa que não lhe cabia no peito

Talvez nunca descubra mistério ou segredo do pensamento
Os tantos EUs a desmoronar de tênues ilusões
Do ser do sentir dos sentidos do sentimento
...

musa

Sem comentários: