Cartão de Visita do Facebook

segunda-feira, 6 de abril de 2015

MÃOS DE RENDA

MÃOS DE RENDA
Rendem as tuas mãos minha mãe
Das consumiçoes e dos cansaços
Das dores e das tristezas também
Das meiguices e dos abraços
Rendadas alegrias de cordão branco
Em rendados passos
A renda dos olhos em pranto
Afectos de nós e de laços
O tempo ponto a ponto de encanto
Das tuas mãos minha mãe
O crochet das horas em lassitude
Ponto a ponto em infinitude
A renda dos anos em dias
A multiplicar alegrias
De rendada magnitude
Nas tuas mãos o tempo
A marcar a atitude
O sentimento

Mãos de renda trabalhada
Ponto a ponto unido
O fio de algodão entrelaçado
Em rede ou crivo
Quase nada
Resta agora
O fio deslaçado
Na ponta da agulha demora
O teu olhar calado
...
musa

Sem comentários: