Cartão de Visita do Facebook

quinta-feira, 8 de janeiro de 2015

RISCO DE MORTE

Não sei que palavra escrever
Na nudez da folha em branco manchada
A vida a golpes de metralhadora silenciada
Daqueles que Paris viu morrer
Liberdade de expressão proibida
Em traços de sangue derramado
Era somente um cartoon da vida
Por ironia do destino desenhado
Quem aniquilou por fanatismo exacerbado
O humor da criatividade expressiva
Riscando a negro azedume lascívia
O traço da folha em branco deixado
Frio cruel hediondo horrendo ousado
Na mais infame tortura sentida
Calar um ser humano de morte
Que arma alguma vire a sorte
Do que um risco de lápis pode fazer
Pois Charlie Hebdo há de viver
...

musa

1 comentário:

rui disse...

Je suis Charles!

Je suis très désolé!