Cartão de Visita do Facebook

sábado, 24 de janeiro de 2015

CONFISSÃO

CONFISSÃO
Só a morte me liberta
Do frio da agonia
Só a mortalha
Em mim desperta
Esta vontade heresia
Ou coisa que o valha
Mortífera confissão
Léria treta ou palha
De que se serve a razão
Quando do tudo resta nada
Do horizonte fechado
A última luz se apaga
No instante confessado
E o real parece fantasia
Mórbida profunda apatia
De um corpo já cansado
Derradeira réstia de vida
Jaz no sonho mutilado
Na morte assim cumprida
Sopro enfim apagado
Da alma já perdida
Do ser suicidado
...
musa

Sem comentários: