Cartão de Visita do Facebook

sexta-feira, 21 de novembro de 2014

CAOS DE SENTIR

CAOS DO SENTIR

A minha vida é um caos de uma existência viva
Vivo o absurdo do sentir
O caos existencial emocional vivencial
Na aparência lenta do superficial existir
Professo a loucura imaterial
Do mundo a carne e a alma do pensar
E tenho por mim profundo respeito
Como se a vida adentro a sangrar
Libertasse os sonhos secretos e as dores do peito
Tão de chamas e tão carnal
Metafísico sublime imperfeito
Para ser dos sentidos o jeito
Com que vivo humano animal
Mas aí de mim cárcere caos covil
Onde aninho chagas e medos por dizer
Quando enfim revelo segredos por escrever
Fantasmas dessa alma desassossegada e vil
Sou assim o estranho trevo insano por colher
No mundano seio deste viver
A vida caos do sentir por prazer
Tão de sensações tão pueril
...

musa

Sem comentários: