Cartão de Visita do Facebook

domingo, 7 de setembro de 2014

POEMA PARA UM DOMINGO SEM SOL

POEMA PARA UM DOMINGO SEM SOL

Há rugas que nenhuma alma tece
Traços que sol algum pode apagar
Sulcos onde a memória se possa entranhar
Riscos onde a luz desmaia e desfalece
Linhas de toda uma vida por desenhar
E ler na pele dos sentidos
Um domingo sem sol por inventar
Dos dias quietos lá longe esquecidos
Nas horas de um entardecer a sonhar
Todos os tempos já inventados
Em lapsos de sentir desmemoriados
A vida que parece parar
Mas não
Foi só um domingo de solidão
Das lágrimas que ficaram por chorar
Sem sentido sem razão
...

musa

Sem comentários: