Cartão de Visita do Facebook

segunda-feira, 1 de setembro de 2014

ALMA DE XISTO

A idade metamorfizada
O sangue argiloso
A veia fragilizada
No tempo venoso
Do ser escorre

Fragmento cindido
Pensamento morre
Fingimento sentido

Os dias dispersos
No tempo perdido
Grãos de folhelho
Soltos versos
De sentir velho
Comprimido

Pedras acasteladas
Sem castelo algum
Do corpo o espelho
Das mãos as palavras
Da alma nenhum
Verbo de pedra ou xisto ou cal
Muros erguidos ao tempo
Possa ser mais humano mais carnal
Que a rocha laminada
Em estranho discernimento
Pedra a pedra incrustada
Terra lousinha mineral
Do solo sentimento
...

musa

Sem comentários: