Cartão de Visita do Facebook

segunda-feira, 1 de setembro de 2014

A HORA DO GALO

Ao galo de Portugal

Na hora que o tempo dá corda
Rompe aurora o galo a cantar
Desperta claridade que acorda
Amanhecida hora a madrugar

Canta o galo na fria madrugada
Da noite que ficou na escuridão
O dia clareado de luz afogueada
Traz aos gritos cacarejar trovão

Saberá o tempo das horas vespertinas
Da corda que grita estica a garganta
Endoidece de berros todas as galinhas

A hora do galo acorda a manhã enevoada
Que dos meus olhos o sono espanta
Anda no galinheiro tudo em revoada
...

musa

Sem comentários: