Cartão de Visita do Facebook

terça-feira, 25 de fevereiro de 2014

CHUVA DE SAUDADE - Mariza - Chuva - Fado


CHUVA DE SAUDADE

do tempo de não ter-te
valados de saudade sulcaram águas
reunindo as chuvas que não cessam de chorar te

em obliqua fronte desse pranto
desaguei o olhar doce encanto
no sentir te fiz me nascente
rio em abraços para o mar
húmido e quente
em gotas a pingar
docemente

a chuva que não cessa de cair
no branco acinzentado da claridade
em cor de chumbo a fingir
raiar de cinza a tonalidade
que olhar e saudade fazem sentir

reúnem se águas em véu manso escuridão
desnorteados ventos vêm dançar
sopram gotas na clara ténue ventania
da saudade e da melancolia
a chuva do silêncio e da solidão
na terra e no mar
faz se poesia

musa

Sem comentários: