Cartão de Visita do Facebook

sábado, 21 de dezembro de 2013

PALAVRAS E HORAS - À NOITE MAIS LONGA DO ANO

                               http://www.obod.com.pt/
À NOITE MAIS LONGA DO ANO

Solstício de inverno é um fenômeno astronómico acontece todos os anos no dia 21 de dezembro.

Esta data marca o início do inverno no hemisfério norte e do verão no hemisfério sul.

Este dia é o dia mais curto do ano e consequentemente a noite mais longa do ano.

Os solstícios ocorrem duas vezes ao ano - na primavera, no dia 21 de junho acontece o solstício de primavera, e no dia 21 de dezembro ocorre o solstício de inverno.

Solstício de Inverno em Portugal
O solstício que marca o princípio do inverno em Portugal corresponde à data em que o Sol se encontra mais a sul.

Definição de Solstício

A palavra solstício vem do latim "sol" e sistere "que não se move". O solstício de inverno ocorre quando o Sol atinge a maior distância angular em relação ao plano que passa pela linha do equador.

PALAVRAS E HORAS

Palavras pensamentos e horas e um chá de Alcaçuz Flor de Laranjeira Canela Roseira Brava Menta e uma mistura de sentimentos evaporando-se pelo silêncio da noite perdida dos meus sentidos em emoldurado penhor dos instantes de lucidez que desapegam desta saudade que me tinge sonhos da imaginação...
Aqueço as mãos nas entrelinhas comovidas da chávena quente e sinto como sabe bem o calor do abraço enternecido do passado a trazer-me um inverno feito de uma viagem de comboio com a nostalgia de paisagens desaparecidas e um pintor adormecido no meu regaço esperando os sonhos derreterem gélidos enfeites respirados nos braços fumegantes da natureza...
Se eu não voltar mais este Inverno... acabei de verter o chá quente sobre as teclas do computador...eram lágrimas de saudade traduzindo a inquietação das mãos trémulas…

As horas manchadas de luz enternecida
Espreguiçam-se numa morosidade lenta
Não há vento que mova raio de vida
A tarde cresce sossegada pardacenta

A Dama Inverno descansa seu olhar luz
Sorriso eterno em morna frialdade
Tempo de memórias que sentir seduz
Dias curtos travando a saudade

Palavras tecidas trama da frialdade
A esfriar sentidos em gozo leito
Por dentro o sentir toda uma saudade
Gelando o ser a alma o peito

musa

Sem comentários: