Cartão de Visita do Facebook

quarta-feira, 5 de junho de 2013

DEDICACE - a JOSÉ LUÍS PEIXOTO

Na timidez profusa de um silêncio entre paredes
Lanças palavras sem tempo nem pensar e nessa ousadia
São como peixes entontecidos apanhados nas redes
Dos sentidos a naufragar marasmo da fantasia

É o teu ser a casa escura que trouxe ao mar profundidade
E o teu rosto despojado à minha espera um cais sem pontão
Amarras as mãos da loucura onde navega a ansiedade
Rosto mãos e o ser vagas soltas em águas solidão

Amor são os teus olhos e o sentir devoluto e ardente
Brilho de sal e sentidos no olhar suado do gozo amante
Quase como um sol a esmorecer para além do poente
Quando tudo e todos já te sabem cumprido e distante

E hoje em Junho vieste aos Maus Hábitos no Porto
Sentado defronte a uma multidão ouvindo vendo-te falar
Era a casa cheia em escuridão e o olhar atento absorto
José Luís Peixoto na t-shirt um galo por cantar

musa

Sem comentários: