Cartão de Visita do Facebook

quarta-feira, 27 de fevereiro de 2013

NÃO SÃO MINHAS AS PALAVRAS


São nossas, as palavras, todas as palavras trocadas...
Somos nós tentando ludibriar as leis da física, tentando tocar-nos através delas, fisicamente...
Acariciando-nos, beijando-nos... Sempre...
Quando te beijar não será o Meu beijo, será o Nosso beijo...
Estas palavras existem porque são necessárias, porque existimos, Tu e Eu...
Elas não os nossos dedos tateando, são a nossas mãos explorando. São os nossos sexos deleitando-se...

Não são minhas as palavras...

Beijo-te...

António

Não são minhas as palavras

São o segredo dos lábios luz
Iluminando o nosso sentir
Numa clareira que seduz
Claridade desejo a refulgir
Nas sombras da boca contraluz
Clarão de vontade a consentir
As tuas e as minhas palavras
Para serem as nossas somente
Dessa sedução que consente
O beijo através do olhar
Como se nas palavras se pudesse tocar
A alma no mais profundo sentido
E nesse beijo perdido
O rumo desatinado
O instante aprisionado
Nas bocas feitas loucura
E coladas de ternura
Num beijo húmido molhado
O desejo incendiado
Apague a fome secura
Do sentir enamorado
O querer afogueado
Do prazer encontrado
Num fogo que incendeia
E de beijos se ateia
E de luz perdura
Olhar alado
musa

Sem comentários: