Cartão de Visita do Facebook

quarta-feira, 15 de agosto de 2012

DO QUE ME DEIXASTE


Do que me deixaste
Cumprirei o meu sentir
Sabendo que nunca me amaste

Das palavras a espera de um tempo incerto
Dádiva de não esquecer
Do amor que não levaste
Do que não chegou a existir
Do sentido desperto
Do que não houve tempo para fazer
Do querer liberto
Do que nunca chegou acontecer

Hoje esperava o sol e veio a chuva
Em pleno Agosto e eu gosto
Derrapando a curva
Do tempo
E… foi tão bom
Hoje esteve a chover
Desesperava e do quase nada
Vieste tu
Trazer esse teu dom
Ao meu insaciável pensamento
De não teres ficado esquecido
E como prometido voltarmo-nos a encontrar
Lá na escadaria frente ao mar
Onde o sentir ficou perdido

Mais do que todos os poemas que eu contigo possa escrever
Mais do que a poesia que a tua vida me possa confiar
Mais do que o verso que pulsa da nossa imaginação a palpitar

Existe em nós um tempo de prazer que possamos deixar acontecer
Existe em nós a magia das palavras que apaga todas as mágoas
Existe em nós um universo que conspira sedução pela rendição
Existem as tuas palavras que nunca esqueço
Existe em nós uma doce paixão
Existe um tempo de ti que eu ainda mereço
Existe do sentir a razão
musa

Sem comentários: