Cartão de Visita do Facebook

quinta-feira, 8 de março de 2012

PARA A MULHER ESCONDIDA


Aquela de uma beleza rara
Quase pó no deserto
De tez alva clara
Rosto secreto
Tapado

Mulher de corpo cansado
Na pele rugas das areias
Olhar na sombra ofuscado
Máscaras intrincadas teias

Aquela mulher de longa veste
Coberta dos pés à cabeça
Que a sua virgindade despe
Mesmo àquele que não a mereça

Mulher de rosto escondido
De privada liberdade
Talvez num sonho vencido
Alcance a sua igualdade

Aquela mulher obediente
Com uma vida por cumprir
Mulher que ama
Mas nunca reclama
Mulher serviente
Nega-se o sentir
Mulher que proclama
Triste condição
Num longo despir
Dessa tradição
Sua paixão

Talvez um dia seja liberta
Tombe no chão
Sua máscara sombria
Talvez um dia ela seja desperta
Para toda a realidade de hoje em dia
musa

Sem comentários: