Cartão de Visita do Facebook

quarta-feira, 29 de fevereiro de 2012

PORTO PARTO POESIA

Do Porto parto sentidos
e voo ao outro lado
louca existência
tresloucada demência
este jeito fechado
de ser e sentir
incandescência

ao cais

Parto do Porto
Vou partir
sem nunca ser demais
voos loucos efusivos
em sentires depressivos
entre gritos sustenidos
na garganta doces ais

acolhe-me Gaia
qual margem que desmaia
de cores na outra banda
vestida chitas e cambraia
para lá nessa debanda

linha ténue da raia
fronteira de chão e de água
marcando os sentidos
murmúrios sussurro gemidos
me parto pranto de mágoa
a olhar rio espelhado
dando forma a sonhos perdidos
sombras Douro clareado
num parto escuridão
Porto parto em poesia
numa ponte de solidão
de partida palavras humedecidas
esvoaçante silenciosa fantasia
de todas as lágrimas esquecidas
de ti partirei um dia

Parto de mim
do Porto ao cais
da alma ao corpo
do poema ao sentir
...
musa

Sem comentários: