Cartão de Visita do Facebook

quinta-feira, 17 de novembro de 2011

CREPÚSCULO FANTASIA


Crepúsculo gélido brisa do mar
Seio onde a terra bebe
Das vagas vindas naufragar
Onde matam a sua sede
Anoitece
A praia deserta murmura
Na areia húmida desfalece
Escuridão loucura
Que sombria tece
Manto de estrelas luminosas
Enquanto na noite amanhece
Flor perfumada de rosas
Odor madeira queimada
Mistura de água salgada
Ondulam espíritos inquietos
Baila luar de prata
Brilhos desinquietos
Que o escuro desata
De nós presos no sussurrar
De sonhos despertos
De vagas bailando no horizonte
Entre a terra e o mar
Entre a noite e o dia
Dos extremos da ponte
Prestes a alvorecer
Como o escurecer
Dos cheiros da maresia
Fica o anoitecer
Crepúsculo fantasia
Mar de prazer
musa

Sem comentários: