Cartão de Visita do Facebook

terça-feira, 27 de setembro de 2011

CANSAÇO

Rasto de poeira sentimental
Partículas de sentidos
Sentir descomunal
Em mim perdidos
Do bem e mal

Os meus eternos cansaços
Que em instantes abrigam
Beijos olhares abraços
Tanto que me castigam
Desatados nós e laços
Que dentro de mim
Mendigam

Por bem por bendita
A dor já no fim
Quem em mim acredita
E cansada assim
Muda a desdita
Olha-me de lado
De uma inveja por cumprir
Cansada de ser julgada
Do que não pude sentir
Proibida maltratada
Interdita de repetir
Negada a consentir
Cansei-me de entender
O que não consigo compreender
Que por razão ou castigo
Que por maldade ou inveja
Que por bem ou perigo
Será melhor viver na incerteza
E no prazer do inimigo
musa

Sem comentários: