Cartão de Visita do Facebook

sexta-feira, 3 de abril de 2009

CEGUEIRA

Bravia configuração de halos de luz
Teoremas de dor por resolver
Que de medo negro me seduz
Logoritos da alma a marear razão
Héstia apagada quase a morrer
Entre um sim sentido e um quase não
Caminho de luz que os meus olhos procuram
Em passos de solidão agora desprendida
Raios velas que de dor seguram
Claridade dos olhos assim despida
Como secreta áurea de segredo
A um mastro de velas já partidas
Fico agarrada com medo
De afundar em águas escurecidas
Tal vil e cruel degredo
Se dão tantas mas tantas vidas

Sem comentários: