Cartão de Visita do Facebook

sábado, 22 de novembro de 2008

INSATISFEITA

Como sou insatisfeita De uma alma cheia de penas Sinto dores às dezenas Tenho a vida já desfeita São tão grandes meus pecados Que a alma soluça tristemente Aperto as mãos dedos cruzados Caindo gotículas de suor quente Não há homem que me entenda Que por amor me queira bem Que à terra minha vida prenda A chão que não é de ninguém Do mundo ando perdida Não tenho senhor nem dono Corre-me nas veias a vida Foge-me da alma o sono Já não vivo não como não durmo Tão triste sentido é viver assim Perdida sem fado sem rumo Nas mágoas deste jardim

Sem comentários: